Jejum intermitente pode ser mais efetivo quando associado à restrição calórica

Jejum intermitente pode ser mais efetivo quando associado à restrição calórica

Em estudo randomizado de oito semanas, coorte de 90 mulheres de meia-idade ou mais velhas com sobrepeso ou obesidade foram aleatoriamente distribuídas para quatro estratégias diferentes:

(1) Jejum intermitente associado à restrição calórica (70% da necessidade energética);

(2) Jejum intermitente sem restrição calórica (100% da necessidade energética);

(3) Restrição contínua a 70% das necessidades energéticas;

(4) Controle, 100% das necessidades energéticas.

Os resultados demonstraram que as mulheres com sobrepeso que fizeram dieta hipocalórica associado a três dias de jejum por semana (grupo 1) perderam mais peso e tiveram melhores marcadores cardiometabólicos do que as que apenas reduziram a ingestão calórica ou fizeram somente jejum ou não fizeram nenhum dos dois.

Os resultados demonstram, ainda, que as outras mulheres do estudo, que fizeram jejum intermitente sem reduzir a ingestão de alimentos; que reduziram a ingestão de alimentos sem fazer jejum, ou que não seguiram nenhuma dieta, não foram tão bem-sucedidas em termos de perda ponderal.

As mulheres do grupo do jejum intermitente com redução calórica tiveram maior redução do peso, da massa de gordura, dos níveis de colesterol total e da lipoproteína de baixa densidade e dos ácidos graxos não esterificados em comparação às mulheres do grupo de redução calórica isolada ou jejum intermitente isolado.

Este estudo agrega evidências de que o jejum intermitente, pelo menos em curto prazo, pode proporcionar melhores resultados para a saúde do que a restrição alimentar contínua e, potencialmente, para a perda ponderal.

No entanto, é importante salientar que este foi um estudo pequeno com baixo poder estatístico. Dessa forma, é necessário admitir que os resultados não possam ser generalizados para uma intervenção prolongada ou para outras populações, e que novos estudos são necessários para endossar estes resultados.

Embora o estudo confirme que o jejum intermitente é mais eficaz do que uma dieta restritiva continuada, o estímulo determinante para limitar o apetite das pessoas, que poderia ser a chave da promoção de uma perda ponderal eficaz, exige uma investigação mais aprofundada.

Referências

Hutchison AT, Liu B1, Wood RE, et al. Effects of Intermittent Versus Continuous Energy Intakes on Insulin Sensitivity and Metabolic Risk in Women with Overweight. Obesity (Silver Spring). 2019; 27(1):50-58.

Deixe uma resposta

Fechar Menu