You are currently viewing NUTRIC score modificado como preditor de prognóstico em pacientes críticos com COVID-19

NUTRIC score modificado como preditor de prognóstico em pacientes críticos com COVID-19

O rastreio do risco nutricional dos pacientes hospitalizados é uma etapa muito importante na elaboração de uma intervenção nutricional precoce e mais acertada. Além disso, pacientes com alto risco nutricional têm associação direta com desfechos clínicos adversos. Nesse cenário, o Clinical Nutrition publicou um estudo no qual pesquisadores aplicaram o NUTRIC score modificado (mNUTRIC) para avaliar o risco nutricional de pacientes críticos com COVID-19.

Trata-se de um estudo observacional e retrospectivo conduzido em três UTIs para pacientes com COVID-19 em estado grave, no qual os pesquisadores investigaram o resultado apresentado pelo escore mNUTRIC e sua relação com diferentes parâmetros e resultados clínicos. Os dados foram coletados através dos prontuários eletrônicos englobaram: dados clínicos e laboratoriais; complicações médicas; principais tratamentos; padrão de suporte nutricional e resultados clínicos. A mortalidade foi calculada de acordo com os resultados dos pacientes aos 28 dias de internação na UTI.

Foram incluídos no estudo 136 pacientes com COVID-19 em estado crítico com maioria do sexo masculino (63%) e mais da metade com idade acima de 65 anos. Uma ou mais comorbidades foram observadas com frequência, sendo as mais comuns: hipertensão arterial e diabetes mellitus (50% e 41%, respectivamente). O tempo médio desde o início da doença até a admissão na UTI foi de 14 dias. A mortalidade foi elevada, chegando a 72% dos casos.

Com base no escore mNUTRIC a maioria da população estudada (61%) apresentava um alto risco nutricional (> 5 pontos). Esses pacientes demostraram mais complicações ao longo da sua internação como: síndrome respiratória aguda grave, lesão aguda do miocárdio, infecção secundária, choque e uso de vasopressores e, como consequência, também maior taxa de mortalidade quando comparado ao grupo de baixo risco nutricional (87% vs 49%, p<0,001).

O alto risco nutricional foi um fator de risco independente para mortalidade em 28 dias na UTI. O tempo médio de sobrevida dos pacientes no grupo de alto risco nutricional foi de 8 dias e 16 dias no grupo de baixo risco nutricional.

Na comparação dos detalhes da pontuação de cada item do escore mNUTRIC entre os sobreviventes e não sobreviventes na UTI mostrou-se que além de alto risco nutricional, a mortalidade também estava associada a idade avançada e aos escores de gravidade APACHE II e SOFA mais altos e ao maior número de comorbidades associadas.

A avaliação do estado nutricional foi realizada pela mensuração dos níveis de albumina, pré-albumina e hemoglobina na admissão da UTI. O nível médio de albumina foi de 30g/L, com 56% dos pacientes com nível inferior à média. O nível médio de pré-albumina dos pacientes foi de 86 mg/L, enquanto o nível médio de hemoglobina foi de 128 g/L. A pré-albumina elevada foi considerada um fator de proteção (HR 1⁄4 0,99, IC 95%: 0,989 e 0,999, P 1⁄4 0,029).

Ainda são poucos as pesquisas específicas em relação a nutrição e pacientes com COVID19 na UTI, mas cabe lembrar que a infecção respiratória severa induz uma resposta inflamatória e hipercatabólica com aumento da demanda energética e proteica, associada muitas vezes a sintomas como anorexia, dispneia, disosmia e disgeusia, aumentando o risco nutricional desses pacientes. Apesar dos estudos com COVID-19 estarem em constantes transformações e mudanças, já é bem evidenciado que nos pacientes mais graves de forma geral, otimizar o cuidado nutricional é importante para manter o trato gastrointestinal e o sistema imune funcional e minimizar a perda severa da massa e da função muscular.

O escore mNUTRIC é uma ferramenta de rastreio nutricional para sinalizar aqueles pacientes em risco nutricional dentro das UTIs que se beneficiariam de uma terapia nutricional mais agressiva e neste estudo, essa ferramenta mostrou-se apropriada para avaliação de risco nutricional e predição de prognóstico para pacientes com COVID-19 gravemente enfermos.

Referência

Zhang P, He Z, Yu G, et al. The modified NUTRIC score can be used for nutritional risk assessment as well as prognosis prediction in critically ill COVID-19 patients. Clin Nutr. 2021;40(2):534-541. doi:10.1016/j.clnu.2020.05.051

Deixe um comentário

Por favor, aguarde.
Carregando...