Consumo de Glúten Reduz Risco de Doença Cardíaca

Consumo de Glúten Reduz Risco de Doença Cardíaca 1

NOVIDADE: GanepãoCAST – o PODCAST do Ganepão!

O podcast é um conteúdo de mídia (geralmente áudio) transmitido via RSS. Publicaremos mensalmente no Blog do Ganepão, um áudio sobre temas relevantes e atuais do mundo da nutrição.

O tema do Ganepão News&Views e GanepãoCAST de agosto é a relação da ingestão de glutén e doenças cardíacas. Não deixe de ler e ouvir! 

Com objetivo de avaliar a associação da ingestão, em longo prazo de glúten, com desenvolvimento de doença cardíaca coronária, estudou-se, de forma prospectiva, uma coorte de 64.714 mulheres e 45.303 homens do Estudo de Acompanhamento de Profissionais de Saúde.

 Foram pessoas que, sem história de doença coronariana, preencheram um questionário semi-quantitativo de frequência alimentar de 131 itens em 1986, atualizado a cada quatro anos até 2010.

Durante 26 anos de acompanhamento observou-se 2.273.931 pessoas por ano. Destes, 2.431 mulheres e 4.098 homens desenvolveram doença cardíaca coronária. O infarto do miocárdio fatal ocorreu em 2.286 participantes (540 mulheres e 1.746 homens) e infarto do miocárdio não fatal aconteceu em 4.243 participantes (1.891 mulheres e 2.352 homens).

Entre os indivíduos elegíveis para análise (64.714 mulheres e 45.303 homens), a ingestão diária média de glúten variou de 2,6 – 7,5 g entre as mulheres e 3,3 – 10,0 g entre os homens.

A ingestão de glúten correlacionou-se inversamente com a ingestão de álcool, tabagismo, ingestão total de gordura e ingestão de carne vermelha não processada e de forma positiva com a ingestão de grãos inteiros e refinados.

Nos participantes com ingestão média de glúten de 2,6 a 3,3 g a doença coronária incidiu em 352/100.000 pessoas, e nas com maior ingestão média de glúten (7,5 a 10g) a incidência foi menor (277/100 000 pessoas). Ou seja,   diferença de taxa de 75/100.000 menos casos de doença coronária em quem ingeriu mais  glúten.

Os autores concluem que a ingestão dietética em longo prazo de glúten não se associou ao risco de doença cardíaca coronária. No entanto, a exclusão do glúten pode resultar em consumo reduzido de grãos integrais benéficos, o que pode afetar o risco cardiovascular. A promoção de dietas sem glúten entre pessoas sem doença celíaca não deve ser encorajada.

Referência:

Benjamin Lebwohl, Yin Cao, Geng Zong, Frank B Hu, Peter H R Green, Alfred I Neugut, Eric B Rimm, Laura Sampson, Lauren W Dougherty, Edward Giovannucci, Walter C Willett, Qi Sun, Andrew T Cha. Long term gluten consumption in adults without celiac disease and risk of coronary heart disease: prospective cohort study. BMJ 2017;357:j1892

Deixe uma resposta

Fechar Menu